sábado, 13 de junho de 2015

Mulher faz exame e diz ter apanhado de ex que bateu em cães: 'apavorada'


Carolina Mandin diz que foi agredida por Rafael Hermida em festa no Rio.
Ele afirmou que a produtora 'partiu pra cima' e apenas se defendeu.

Gabriel Barreira e Henrique CoelhoDo G1 Rio

Ex-noiva de empresário que bateu em cães no Rio faz exame no IML (Foto: Gabriel Barreira/G1)Ex-noiva de empresário que bateu em cães no Rio faz exame no IML (Foto: Gabriel Barreira/G1)
A ex-noiva do empresário Rafael Hermida, flagrado em vídeo maltratando os cães dela, em fevereiro, compareceu ao Instituto Médico Legal (IML), no Centro do Rio, na manhã deste sábado (13), para fazer exame de corpo de delito. Ela afirma que foi agredida por ele na madrugada desta sexta-feira (12). "Estou apavorada. Afinal, não é a primeira vez. Agora, espero que ele seja preso", disse Ninna Mandim.
Ninna Mandin prestou queixa na 15ª DP (Gávea) e disse que o ataque foi em uma festa no Jockey Club, também na Gávea, Zona Sul. De acordo com o registro de ocorrência, ela levou socos, tapas e pontapés.
Com um corte no supercílio, ela disse que não recorda se o motivo do machucado foi uma suposta agressão do ex-companheiro ou se aconteceu após a queda. Ela afirmou ainda que tomou dois pontos, embora os médicos tenham recomendado outros três. De acordo com a vítima, os seguranças que relataram as agressões não quiseram testemunhar o crime.
Procurado pelo G1, Rafael Hermida falou sobre a agressão. “Quando ela [Ninna] me viu, ela partiu pra cima de mim. Empurrei para ela parar e para eu me defender, ocasião em que ela caiu no chão. Tenho testemunhas e conto com a possibilidade de conseguir as gravações das câmeras do local. Eu só soube que ela havia se machucado ontem [sexta] na hora do almoço. Na mesma hora liguei para ela. Falei com ela e ela falou que estava com a cara toda arrebentada. Falei na mesma ocasião que não havia encostado no rosto dela. Ela confirmou e falou que teria se machucado com vidro que tinha no chão no momento que ela caiu no chão e falou q estava indo para a DP e que eu iria preso”.
Registro de ocorrência foi feito na 15ª DP, na Gávea (Foto: Reprodução)Registro de ocorrência foi feito na 15ª DP, na Gávea
(Foto: Reprodução)
De acordo com o advogado dele, Vicente Donnici, Rafael estava na festa acompanhado de uma outra mulher e, segundo o advogado, Carolina, com ciúmes, partiu para cima do empresário com socos e tapas. Donnici disse que na queda Ninna se cortou e levou três pontos no próprio posto médico do evento.
Carolina contestou a versão do ex-noivo. "Ele me segurou e não me soltava porque queria falar comigo. Eu fiquei gritando pedindo para ele me soltar, chamando os seguranças. Não teve história nenhuma de mulher, eu nunca teria ciúmes de um monstro que estragou a minha vida", disse ela.
Ninna Mandim denunciou ex-noivo em fevereiro deste ano por agressão a cães (Foto: Reprodução / Facebook)Ninna Mandim denunciou ex-noivo em fevereiro
por agressão a cães(Foto: Reprodução / Facebook)
Ainda segundo o advogado, Rafael não foi chamado para prestar depoimento. De acordo a polícia, a vítima tem até sábado para realizar o exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML), quando vence o prazo expedido na hora do registro. Somente após o exame, os envolvidos serão chamados para prestar depoimento.
De acordo com informações da 15ª DP (Gávea), os agentes solicitaram imagens das câmeras de segurança do local. Os seguranças e funcionários que trabalharam no evento estão sendo intimados a depor.
Agressão a cães
No dia 3 de junho, na audiência especial sobre o caso das agressões às cachorrinhas, Rafael mais uma vez não compareceu ao Juizado Criminal da Barra. A conciliadora responsável pelo caso ressaltou que os oficiais de Justiça não conseguiram intimar Rafael nos endereços por ele declarados à justiça.

“Deixo de remarcar nova audiência e encaminho os autos ao Ministério Público para análises que achar cabíveis”, informou a conciliadora em sua decisão.
Na audiência anterior, em 24 de março, ele também não compareceu. O Ministério Público informou na ocasião que a audiência não foi realizada “por ausência do autor do fato, o qual lamentavelmente, pretende ludibriar o Poder Judiciário, ocultando-se do oficial de Justiça que tentou cumprir os mandados de intimação nos quatro endereços constantes dos autos, sendo certo que o endereço da Estrada Dos Bandeirantes foi declinado pelo próprio Rafael em delegacia de polícia, fato que revela seu acovardamento para enfrentar o processo judicial pelos fatos repugnantes praticados”.
O Ministério Público então pediu mais uma designada audiência especial, a de quarta-feira, “para fins de proposta imediata da pena”. Mas esta também não se realizou.